Sim, sei que já não é mais novidades para ninguém que o Batman: Arkham Asylum é um puta jogão. Mas agora que eu terminei a história e já joguei boa parte dos Challenge Modes, resolvi postar o meu review do jogo.

A primeira coisa a se destacar é que a história do jogo é animal, algo que faltava em jogos que são adaptações de quadrinhos ou filmes de super heróis. Inclusive, porque trás personagens novos, criados para o jogo, mas que se encaixam perfeitamente à mitologia do personagem. Resumindo, o Coringa foi preso (de novo) pelo Batman e está sendo levado de Batmóvel para o Asilo Arkham, o reformatório para os bandidos malucos que habitam a pobre Gotham City. Chegando lá, supresa! O Coringa se deixou prender para levar Batman até o Arkham, que está especialmente preparado com uma série de armadilhas e emboscadas para o Morcego, com vários de seus inimigos doidos por uma chance de ter a vingança por estarem ali.

Se o argumento é bom, o desenvolvimento é melhor ainda e vamos descobrindo que o plano do Coringa vai muito além de simplesmente dar uma coça no Cavaleiro das Trevas. A essência dos personagens também está toda ali. O comportamento sombrio e solitário do Batman, o senso de humor doentio do Coringa, a paixão maluca de Harley Quinn pelo palhaço e por aí vai. Além de encontrar inimigos e aliados no jogo, você também coleciona os perfis dos personagens e, no caso de alguns “habitantes” do Arkham, as fitas das entrevistas com os pobres psicólogos da instituição, que tentam dar jeito nas cabeças desses malucos. O que torna, aliás, a história ainda melhor.

O jogo tem, além da história principal, pequenas side quests, sendo que a solução das 240 charadas espalhadas através do jogo pelo (guess who?) Charada é fácil a mais divertida. Simplesmente não dá prá resistir em procurar as pistas espalhadas pelo jogo, até desvendar todas, que além de aumentar a porcentagem de jogo completa, ainda libera mais segredos e novos desafios. Alguns dos Challenge Modes só são destravados quando se encontra determinada pista ou charada.

O sistema de combate, as armas e os gadgets vão tendo up grades durante o jogo. Do Batarangue normal, por exemplo, você chega ao Batarangue com controle remoto, além de Bat Ganchos e até Bat Decrypters, para abrir portas eletrônicas criptografadas. Mas a porradaria é legal e os movimentos durante os combates são alucinantes. Tem soco, pontapé, contra golpes, saltos, rolamentos, enfim, Batman mostra que está pronto para a briga.

Mas nem só de briga vive o Morcego. Determinados momentos o melhor é ir na surdina, como Snake de Metal Gear Solid, e tranquilamente detonar os inimigos com take downs estratégicos, seja se aproximando sorrateiramente dos inimigos ou se pendurando em gárgulas, cercas ou escadas. As reações dos inimigos também são bem engraçadas, ainda mais quando vão vendo que os comparsas estão sumindo e eles vão ficando mais nervosos.

Aliás, para analisar inimigos e ambientes, Batman tem o Detective Mode, em que descobre paredes que estão a ponto de cair, dutos para se esconder, inimigos espalhados pelo cenário e, claro, para desvendar algumas pistas do Charada.

Depois de terminar a história (ou enquanto a faz), o negócio é cair nos Challenge Modes. São dois tipos: porradaria, em que o objetivo é derrubar seus inimigos com os maiores combos possíveis e fazendo muitos pontos com isso, e os Stealth, em que o negócio é detonar os capangas do coringa sem ser visto e de diferentes maneiras. O conteúdo disponível para download inclui fases como o Challenge Mode, além da possbilidade de jogá-los como o Coringa, não como Batman.

Por fim, para quem joga no PS3, tem os troféus que o jogo dá. Alguns são moleza, vão sendo ganhos conforme se avança na história. Outros são bem pentelhos, como fazer um combo de 40 hits ou um que envolva todos os movimentos de combate possíveis.

Enfim, é um jogão. Uma mistura de ação, stealth e uma pitada de Resident Evil, até. Um jogo daqueles que vale a pena detonar e mais de uma vez. Dos melhores do console e, certamente, o melhor já feito para um personagem que merece um jogo desse nível.

Agora que terminei o danado, posso dar mais atenção ao The Beatles: Rock Band. Logo dou uma idéia dele por aqui.

Comente

Esblogoogle
Passado
Eu no Twitter